Lasier vê desafios no acordo Mercosul-União Europeia

O senador Lasier Martins (Podemos-RS) comemorou na tribuna do Senado esta tarde (2) a celebração, na última sexta-feira, do acordo comercial entre Mercosul e União Europeia (EU). Para ele, o tratado para criar a maior área de livre comércio da história, um mercado de 280 milhões de consumidores e um quarto da economia mundial, reserva desafios e oportunidades, sobretudo para o setor agropecuário.

Para que o país aproveite melhor os ganhos proporcionados pelo acordo, Lasier defendeu a conclusão das grandes reformas em discussão hoje pelo Congresso, a previdenciária e, sobretudo, a tributária. “O Rio Grande do Sul, como estado tradicional agrícola e com forte produção no campo, não poderia haver melhor notícia para a nossa pauta de exportações. Temos aí grande oportunidade de elevar nossas remessas para a Europa de grãos, de carnes e de móveis, entre outros artigos”, comentou.

Ele citou mais especificamente caso do setor de vinhos, cuja produção nacional está 80% concentrada no Rio Grande do Sul, que tem sua competitividade comprometida pela elevada carga de impostos de 44% no preço final da garrafa. “O Vale dos Vinhedos precisa de condições tributárias adequadas para competir com os vinhos europeus. Atualmente, os produtos gaúchos concorrem com vinhos argentinos e chilenos e mais adiante terá de enfrentar os espanhóis, italianos, franceses e alemães”, observou.

De um modo geral, o senador alertou para a necessidade de o setor produtivo nacional ganhar forças para investir em maquinário e modernização, de olho na concorrência com produtos de elevada qualidade da UE que passarão a chegar aqui mais baratos. “O Brasil, que poderia ser importante ator dos fluxos de trocas globais, está presente em apenas 1,3% do comércio internacional, patamar que não condiz com seu potencial. Essa história começa a mudar”, finalizou.

ASCOM