Lasier defende reformas para reativar investimentos

Da tribuna do Senado, Lasier Martins (Podemos-RS) lastimou a notícia de que o país amarga sua pior taxa de investimentos em mais de 50 anos, conforme estudo da Fundação Getulio Vargas (FGV). Ele atribuiu o quadro à penúria fiscal do país e apontou a reforma da Previdência como saída.

O estudo dos economistas Marcel Balassiano e Juliana Trece, da FGV, revela que a baixa histórica nos investimentos evidencia a fraqueza de gastos com máquinas, construção e inovação. Na média dos últimos quatro anos, a taxa ficou em 15,5% do PIB, acima só da média de 1965 a 1967.

“Fica cada dia mais crucial reformar a Previdência, principal gerador de desequilíbrio das contas públicas, particularmente do Rio Grande do Sul”, disse. Para ele, a aprovar a reforma na Câmara é fundamental para a reação da economia, defendendo também a inclusão de estados e municípios.

O senador citou o dado da FGV de que, numa lista de 172 países, 152, quase 90%, apresentaram taxa de investimento superior à brasileira em 2018. “A raiz de tudo é a incerteza sobre a sustentabilidade das contas públicas no longo prazo, o que leva empresas a adiarem investimentos”, observou.

Ele entende que uma reforma tende a reduzir a indefinição, podendo levar parte do setor privado a retomar planos de modernização e expansão. Tal retomada, acrescenta, é crucial para a indústria encarar o acordo Mercosul-União Europeia. “O setor está combalido e defasado tecnologicamente. Quando for exposto à competição agressiva, sofrerá mais”.

(ASCOM)