Lasier constrói acordo com Tasso para preservar filantropia na educação

Os senadores Lasier Martins (Podemos-RS) e Tasso Jereissati (PSDB-CE) fecharam ontem (17) um acordo para elaborar lei complementar que compense escolas filantrópicas da cobrança patronal prevista pela reforma da previdência mediante desoneração de impostos.

Após uma hora de reunião com representantes de instituições de ensino do Rio Grande do Sul no gabinete de Tasso, relator da reforma, Lasier construiu uma saída para preservar milhares de bolsas e evitar o fechamento de instituições tradicionais. O senador cearense pediu à sua equipe para apressar cálculos nesse sentido.

Durante o encontro mediado por Lasier os líderes das escolas não conseguiram convencer o relator da necessidade de manter a isenção previdenciária das instituições filantrópicas na PEC 6/2019. O senador gaúcho apresentou uma emenda nesse sentido, apoiada pelo setor.

Para defender o argumento de que milhares de bolsas de estudo estão ameaçadas pela cobrança patronal, eles tentaram de tudo, até mesmo explorar o ponto de vista de empresário de Tasso até a incorporação à comitiva de diretores de escolas cearenses.

O relator, contudo, alegou que o seu texto visa fazer justiça social e não permitir que terceiros paguem pelas empresas. “Não sou contra a filantropia”, assegurou Tasso.

O vice-presidente do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe-RS), Osvino Toillier, se emocionou na tentativa de convencer Tasso. Com voz embargada, lembrou da trajetória de seu pai e da dificuldade das famílias de crianças pobres em garantir estudo para seus filhos.