Em audiência, Lasier enaltece papel histórico de Moro

Durante a longa audiência pública hoje (19) no Senado para dar esclarecimentos sobre o suposto conteúdo vazado de mensagens trocadas com procuradores da Operação Lava Jato, o ministro da Justiça, Sergio Moro, respondeu a questões formuladas por Lasier Martins (Podemos-RS).

Antes, o senador gaúcho lembrou que a maioria dos brasileiros reconhece o papel histórico do ex-juiz no combate à corrupção no país, cuja dinâmica inédita ao condenar em quatro anos 211 réus, incluindo figuras poderosas dos meios político e empresarial, se consolidou num marco para o Judiciário.

Lasier pediu a Moro que explicasse se a sua manifestação de confiança no ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), publicada pelo site The Intercept Brasil, indicaria diferenciação positiva dele em relação aos demais membros daquela corte, muitos dos quais alvos de pedido de impeachment enviados ao Senado.

Moro afirmou não se recordar da hipotética frase em inglês (“In Fux we trust”), mas acredita ser possível. “Seria uma declaração trivial. Confio no ministro Fux e na instituição Supremo”, disse. O ministro ressaltou que está tranquilo em relação à conduta que teve como juiz, com aplicação imparcial da lei em casos graves de corrupção e lavagem de dinheiro.

Ao elogiar a celeridade com que Moro conduzia os processos, Lasier também perguntou se o fato dele ter inaugurado um ritmo célere na instrução dos processos teria sido motivação para as muitas mensagens eletrônicas supostamente trocadas com o coordenador da força-tarefa. O ministro concordou, dizendo que reuniões deram lugar a aplicativos.

“Essas conversas acontecem no cotidiano. O trabalho lá era muito intenso e difícil, com situações que exigiam decisões rápidas, como quebra de sigilos, interceptação, prisão, revogação de prisão e liberdade provisória”, disse o ministro da Justiça a Lasier.

(ASCOM)