Biografia

Quem é Lasier Martins?

Nascido em 14 de abril de 1942, na pequena Vale Verde, à época distrito de General Câmara, no Vale do Rio Pardo, o senador Lasier Costa Martins (Pode-RS) construiu com esforço e paixão uma longa relação com o povo do Rio Grande do Sul, seu estado.

Após 54 anos de premiada carreira no jornalismo local, estreou em 2014 na política. Em sua primeira eleição, foi eleito pelo PDT naquele ano para a única vaga em disputa no Senado Federal, com 2.145.479 votos, superando dois ex-governadores: Olívio Dutra (PT) e Pedro Simon (MDB). Foi o único novato na política eleito para a Câmara Alta em 2014.

Senador da República desde os 72 anos, o pai coruja de Marla, Júnior, Luana e Karina, e vozão de João Pedro e Lourenço, mantém pesada rotina de trabalho, que começa bem cedo e vai até tarde da noite. Mas sem abrir mão do convívio da família.

Seja em comissões parlamentares, no plenário ou em missões fora do país, Lasier tem tido atuação coerente ao prometido na campanha eleitoral, pautada pelo respeito ao dinheiro público, por transparência, pelo combate à corrupção e pela defesa da sociedade. Suas dezenas de proposições buscam honrar a confiança dos eleitores e defender o Brasil, em particular o Rio Grande do Sul.

Diante das dificuldades de desenvolvimento e bem-estar dos cidadãos, seus projetos revelam o claro e primordial objetivo de corresponder ao interesse público, com foco na lisura dos gastos do Estado brasileiro e na eficiência dos serviços públicos de saúde, educação e segurança. E nas suas frentes direcionadas ao campo ético, colheu apoio em escala nacional.

ORIGENS

Primeiro dos sete filhos de Antonio e Pampolina Martins, Lasier cursou os ensinos fundamental e médio em Montenegro, no Vale do Caí. Com 15 anos, deu seus primeiros passos na comunicação social, como locutor do serviço de alto-falantes do Ginásio Marista, onde estudava. Aos 16 anos, começou a trabalhar na Rádio Montenegro, atual América, responsável pela criação e condução do programa diário Esporte no Ar.

Lasier mudou-se aos 17 para Porto Alegre, onde se matriculou no curso clássico do Colégio Júlio de Castilhos (Julinho). Na capital, formou-se advogado pela Universidade Federal (UFRGS), em 1967. Exerceu o Direito por 20 anos (1960-1986), especializando-se na área trabalhista, mas sem se afastar da mídia.

Como estagiário, ingressou em 1960 na Rádio Difusora, atual Bandeirantes, onde ficou até 1985. Depois foi funcionário da Empresa Jornalística Caldas Júnior, onde permaneceu por 24 anos, atuando na Rádio Guaíba, na TV Guaíba e no jornal Correio do Povo. Naquele tempo, Lasier tinha cinco ocupações diferentes – três ligadas ao jornalismo e duas ao direito. Optou pela imprensa.

O auge da sua vitoriosa carreira viria, contudo, no Grupo RBS, onde ingressou em 1986 e no qual trabalhou por 27 anos. Na RBS TV, Lasier foi âncora e comentarista do Jornal do Almoço, programa líder no horário. Foi ainda mediador do prestigiado programa de debates Conversas Cruzadas, na TVCom, e apresentador do Gaúcha Repórter e do Debates do Rio Grande, ambas atrações da Rádio Gaúcha.

Além disso, viajava pelo interior para realizar palestras, conduzir debates e apresentar programas ao vivo. Nesse período conheceu mais de 250 dos 470 municípios gaúchos, em cujos lares já era conhecido graças à tevê. No dia 7 de dezembro de 2013, durante o Jornal do Almoço, Lasier se despediu do Grupo RBS para se candidatar ao Senado.

PRÊMIOS

A boa reputação e a audiência recorde lhe renderam dezenas de prêmios. O ranking Top of Mind, da Revista Amanhã, por exemplo, o apontou como comunicador televisivo mais lembrado do Rio Grande do Sul por 23 vezes seguidas, de 1990 a 2013. Recebeu em 2008 e 2009 o Troféu Prêmio Press, como melhor comentarista de televisão do estado, além de diversos troféus do tradicional Prêmio ARI de Jornalismo, da Associação Riograndense de Imprensa (ARI).

No seu currículo estão inúmeras reportagens no exterior, entre as quais a Guerra do Golfo (1990), quando percorreu por 30 dias a Jordânia e Israel, e a Conferência do Meio Ambiente Rio-92, da ONU.

Fez coberturas no Uruguai, Argentina, Japão, Coreia do Sul, China, Índia, França, Portugal, Espanha, Inglaterra, Alemanha, Canadá e nos EUA. Como comentarista esportivo entre as décadas de 1970 e 1980, cobriu as Copas do Mundo da Argentina (1978), Espanha (1982), México (1986) e Itália (1990), se despedindo da crônica esportiva na final entre Alemanha e Argentina. O senador torcedor do Internacional visitou 36 países.

O reconhecimento público de seus méritos como jornalista, comunicador, palestrante, advogado e político ganhou diferentes formas. Ele tem títulos de cidadania honorária de oito municípios, incluindo Porto Alegre, e, em 1989, recebeu a Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho do TST, em Brasília. Em 2010, foi condecorado com a Medalha do Mérito Farroupilha, a maior distinção conferida pelo Legislativo gaúcho.

PARLAMENTO

No Congresso, Lasier Martins enfrentou duras crises nacionais, como a batalha do impeachment da presidente Dilma e as turbulências políticas, econômicas e éticas que vêm agitando o Brasil nos últimos anos. Foi presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado em 2016. Atualmente, é membro titular, entre outras, da Comissão de Constituição e Justiça e da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, e do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar.

O senador gaúcho é autor, entre outras, da Proposta de Ementa Constitucional (PEC) para modificar a forma de escolha dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, e o Projeto de Lei que acaba com o sigilo bancário das operações de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Graças à sua produtiva atuação parlamentar, em 2017, Lasier ficou em terceiro lugar no Ranking dos Políticos, que avaliou todos os parlamentares brasileiros em termos de assiduidade, uso dos recursos públicos, ausência de processos judiciais e qualidade legislativa. O senador lidera movimentos no Parlamento pelo voto impresso nas eleições, pelo cumprimento de pena em segunda instância e pela moralização de costumes nos Três Poderes.

Atendendo ao honroso convite feito pelo senador Álvaro Dias (PR), em fevereiro de 2019, Lasier tomou a decisão de desligar-se do PSD e filiar-se ao Podemos, por considerar a existência de um maior alinhamento da legenda com suas as propostas e bandeiras. Indicado pelo novo partido, o senador assumiu o cargo de 2º vice-presidente do Senado Federal, função que ocupará pelos próximos dois anos.

 

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider