Saída de Moro complica Bolsonaro, diz Lasier

Lasier Martins (Podemos-RS) lamentou esta tarde (24) a saída do ministro Sergio Moro (Justiça) provocada pela “demissão sem motivo” do diretor-geral da Polícia Federal (PF), Maurício Valeixo, pelo presidente Jair Bolsonaro. Em transmissão ao vivo nas redes sociais, o senador gaúcho avaliou que o grave momento no país causado pela pandemia da Covid-19 descambou para um “pandemônio político”.

Classificando a ingerência de Bolsonaro na cúpula da PF como crime de responsabilidade, Lasier alertou para o risco de o “desmoronamento moral do presidente” levá-lo a uma “situação muito crítica”.

Nesse sentido, ele crê na chegada de mais pedidos de impeachment à Câmara dos Deputados, só que, desta vez, mais bem embasados. “Como esse homem (Bolsonaro) foi se meter nessa enrascada, sem inteligência e bom senso, apenas para defender parentes?”, questionou o parlamentar. Ele entendeu que Moro “aguentou até onde deu”, restando pedir para deixar o governo após série de reveses na sua atuação como ministro.

“Ele é um idealista, que abandonou a magistratura para ampliar seu poder de combate à corrupção. Mas acabou sendo frustrado em seu intento”, descreveu Lasier. Na sua opinião, o ministro mais popular da Esplanada se curvou à consciência, para não fugir do compromisso de respeitar a lei e o Estado de Direito. “Perde o Brasil e perde, sobretudo, o governo em seu redemoinho de autoritarismos. “Coisa boa não virá daí”, finalizou.

(ASCOM)