Lasier defende contribuição dos bancos na crise

Durante sua participação esta noite (21) no “Maratona do Consumidor”, programa transmitido ao vivo pela internet, Lasier Martins (Podemos-RS) defendeu o projeto de lei 1166/2020, do qual é o relator e que limita a 30% anuais os juros do cartão de crédito e do cheque especial a serem cobrados no período de calamidade pública devido à pandemia da Covid-19.

No encontro virtual que reuniu membros dos Procons, estudiosos do direito do consumidor e parlamentares, o senador revelou a sua preocupação com os cidadãos mais expostos à grave crise sanitária e econômica. “O projeto do senador Alvaro Dias (Podemos-PR), que deveria ter sido votado semana passada corre riscos devido à pressão dos bancos, mas vamos resistir e exigir que ele seja discutido e votado”, sublinhou.

Lasier ressaltou que no momento que milhões estão perdendo emprego, várias empresas fechando as portas e a fome começa a grassar nas periferias, é inviável se praticar juros que chegam a 600% por ano, apontando uma onda de inadimplência. “Por isso defendemos uma medida excepcional e temporária, até 31 de dezembro, para fazer frente à uma situação dolorosa de graves consequências sociais”, explicou.

O senador pediu a solidariedade das instituições financeiras e bancos durante a crise, após a União despender todos os recursos disponíveis além de ampliar terrivelmente seu rombo fiscal para socorrer desempregados, empresas, estados e municípios. “Nesse quadro trágico, sem prejudicar o livre mercado, pedimos uma colaboração de todos”, finalizou.

(ASCOM)